Preparando a indústria para a revolução 4.0

Muito tem se falado da indústria 4.0 mas pouco tem se dito sobre os requisitos básicos para começar a implanta-la. Para poder analisar uma quantidade de dados com aplicações de modelos matemáticos e de engenharia que tragam insights para melhoria da performance industrial é necessário um bom sistema de monitoramento e coleta de dados. Parece obvio, mas quando o objetivo é monitorar equipamentos industriais, é possível perceber que a implantação desta tecnologia é dependente do equipamento ter sensores apropriados. Atualmente, dado que o monitoramento ainda não é uma realidade em todos os equipamento industriais, principalmente em pequenas e médias instalações, muitos equipamentos não apresentam sensores ou estrutura de interligação apropriada para a implantação do monitoramento.

Dado que o monitoramento é uma ferramenta que vai possibilitar a redução de custos de operação, redução de custo de manutenção, aumento na eficiência de equipe e redução de imprevistos, vale muito a pena preparar os novos projetos considerando que o equipamento poderá ser monitorado, mesmo que o monitoramento não seja implementado logo nesta fase. Isso porque os custos do projeto podem não se elevarem muito dos já previstos e, caso você queira implementar o monitoramento no futuro, não haverá retrabalho e desperdício. Dito isto, destaco dois pontos que são interessantes considerar na hora de projetar uma nova instalação a fim de já deixar ela preparada para ser monitorada:

    1 — Escolha de sensores com comunicação de saída: É comum encontrar sensores sem nenhum tipo de saída de informação, ou seja, seus dados devem ser verificados no próprio sensor no campo. Outros que enviam pulsos que indicam uma certa contagem (como hidrômetros, medidores de vazão de gás, de energia ou de tempo), e ainda outros que tem uma porta de saída pronta para ser conectada com qualquer outro dispositivo, podendo enviar dados com diferentes tipos de protocolos comunicação. Assim, a escolha de um sensor que tenha algum tipo de saída de informações é muito importante.

    2 — Centralização do sensoriamento do equipamento: Muitas das vezes o projeto prevê sensores com saída de comunicação, mas não prevê a interligação deles em um local acessível, como em uma sala específica (dos painéis elétricos, por exemplo) ou até mesmo conectados a um controlador lógico programável (CLP). Esta interligação é de extrema importância por facilitar e não demandar complicações ou a necessidade de mudanças no projeto para a instalação do sistema de monitoramento.

Assim, se você trabalha com equipamentos industriais e já percebeu que tecnologias para monitoramento remoto vão lhe proporcionar vantagem competitiva, pense nestes pontos e já esteja preparado…

Rafael Raoni

CEO

saiba mais

Não perca mais tempo, você precisa de inteligência baseada em dados