A evolução dos sistemas de monitoramento

Caso você seja o responsável por um equipamento industrial, uma de suas funções é acompanhar sua condição operacional a fim de que ele funcione da maneira correta. Para fazer isso, é necessário a coleta de dados, seja ela feita manualmente, pela sua equipe de operadores, ou automaticamente através de um sistema de monitoramento, local ou remoto. .

Acompanhar estes dados irá possibilitar tomar decisões rápidas e assertivas, proporcionando benefícios para sua operação e para sua equipe. Assim, para ajudar nesta análise de dados, vale destacar, inicialmente, três interpretações possíveis:

    1. Condição normal: Está tudo certo e você não precisa fazer nada fora do normal.

    2. ondição de atenção: Algo estranho está acontecendo na operação, mas nada grave.

    3. Condição de alerta: Sua operação está com um problema que demanda atenção imediata;

Estes três tipos de condição de operação são bem padronizados e utilizados pela indústria. Inclusive na área de riscos e identificação de perigos, sendo normalmente representados pelas cores verde, amarelo e vermelho, respectivamente. Porém, o interessante é que os dados coletados do seu equipamento podem te trazer algumas outras informações importantes sobre sua operação:

    4. Condição de coleta de dados ruim: Considerando que a rotina de coleta de dados criada por você está adequada para entender a operação de seu equipamento, caso algum dado não esteja sendo coletado, isso significa que os seus instrumentos estão com algum problema. Neste caso, sua intervenção é necessária para melhorar a condição de coleta de dados a fim de ter as informações desejadas para o acompanhamento adequado da operação de seu equipamento;

    5. Inconsistência em dados coletados pelos operadores: Mesmo havendo um sistema supervisório, é comum ser necessário a coleta manual de alguns dados do equipamento. Porém, ter uma rotina de coleta de dados, o operador para executá-la e a instrumentação necessária para isto, não significa que os dados serão coletados de maneira correta. Ou seja, o operador pode coletar os dados de maneira errada, dificultando o entendimento da condição operacional real do equipamento. Assim, é necessário o acompanhamento destes dados com um olhar crítico, a fim de verificar sua concordância com a condição de operação do equipamento. Caso os dados estejam inconsistentes, é necessário que seus operadores passem por um treinamento.

    6. Inconsistência em dados coletados em tempo real: Ter um monitoramento local ou remoto também não significa que os dados monitorados estão consistentes com a operação. Ter problemas de configuração ou lógica em seus equipamentos, que afete os dados gerados por ele, não é algo incomum. Com isso, se destaca a necessidade de, antes de ter confiança nos dados do monitoramento, atestar que os dados apresentados estão de acordo com a operação. Caso não estejam, uma investigação deve ser feita para que haja a identificação do problema e sua correção. Este ponto é importante pois nem sempre, em pequenas e médias instalações, a pessoa que tem um bom olhar crítico com relação aos dados de um monitoramento, acompanha o equipamento diariamente. Assim, é de extrema importância que, você como responsável, ateste tais dados a fim de não deixar que seus operadores acompanhe dados errados e com isso tome decisões erradas.

Estas outras três interpretações de dados coletados são de extrema importância para se alcançar uma real “condição normal de operação”. Sem prestar atenção nelas, você pode estar exigindo uma condição de operação que, com as atuais informações disponíveis, nunca será alcançada. Ou seja, é possível que você nunca entenda o porque de certos problemas ocorrerem com o equipamento.

Rafael Raoni

CEO

saiba mais

Não perca mais tempo, você precisa de inteligência baseada em dados